terça-feira, outubro 17, 2006

Poesia no partir?

Um dia ao acordar
Reparei que não acordei
Como devia...
Não vi o sol a brilhar
Num imenso breu mergulhei
Não via...
Foram tempos de agonia
Foram tempos de incertezas
(...)
Mas houve um outro dia
Que acordei...
...e finalmente já via

A esperança é uma réstea de luz, que não podes nem deves largar de mão.
Um beijo e um eco de mim




Não resisti a partilhar convosco um poema que uma amiga virtual me endereçou nos primeiros dias de Setembro passado. Os amigos da Net tem para mim um lugar especial que, embora não atingindo o grau de uma amizade plena, ao partilharem connosco o que escrevem e absorverem aquilo que transmitimos, passam a fazer parte do nosso espaço. É um tipo de amizade diferente, mas continua a ser amizade. É num momento de abandono que mais sentimos essa falta. Como gosto de me expressar mais por imagens que por palavras, aqui deixo uma flor que, em gíria popular, chamam a "flor da sorte". É a minha oferta para ti, Medusa, que ela te acompanhe e que o "até sempre" que nos deixás-te corresponda a um regresso mas, se tal não acontecer, sorri à vida, para que ela te possa sorrir.


6 comentários:

Medusa disse...

Agora conseguiste deixar-me com um nó na garganta e ao mesmo tempo... um sorriso nos lábios!
Agradeço do fundo do meu coração, este pedacinho de mim,que fui buscar ás prateleiras da minha memória, porque aconteceu... foi real! E que um dia te aqui deixei também, e que agora partilhas com quem o quiser ler. Obrigado!
Um beijo meu

oteudocoelhar disse...

Boa tarde Eduardo...demorei mas aqui estou para agradecer a presença e simpatia nas palavras deixadas no meu cantinho...de facto não visitas numa fase muito simpatica mas aqui estou...os dias passam e com alguma fé penso estar um pouco melhor. Muito bonito o poema da tua amiga Medusa...partilho em tudo a referência aos amigos virtuais...é gente que está desse lado e por vezes gente que se transforma e se preocupa com a gente :). Fez sentido? Acho que sim Eduardo um beijo n´oteudoceolhar ** Até breve *

Pdivulg disse...

Claro que a amizade da Net não é plena mas sem dúvida é real e importante... Nomeadamente esta que se sente nos blogs.

elsita disse...

Olá Eduardo, foi bom ver que havia um comentário teu no meu post, mesmo depois de tão longa ausência...OBRIGADA. A poesia é muito bonita, suave e com um final próspero, como convem, cheia de força. A foto é linda igualmente. 1000 beijinhos

Luisa disse...

Lindo o poema e linda a flor!

@GotaDeAmor disse...

Olá Eduardo ... Vim te visitar para te desejar um bom fim de semana, mas ao ler este poema tão maravilhoso da tua amiga Medusa, não posso retirar-me sem te agradecer pelo facto de o teres partilhado comigo ... É demasiado belo ... Mt obrigado ... beijinhos