sábado, fevereiro 03, 2007

Fátima, cidade de contrastes



Durante a semana que amanhã se inicia, vou abordar um tema que me é muito caro: Fátima, uma cidade que em 1917 era uma simples e pouco conhecida freguesia do concelho de Ourém mas, graças aos acontecimentos verificados nesse ano - a aparição de Nossa Senhora a três pastorinhos no lugar da Cova da Iria -, alterou por completo a pacatez deste lugar. Desde então, este lugarejo foi motivo de procura dos crentes quer do País, quer do estrangeiro, tornando-se naquilo que é hoje: uma cidade que alberga um dos santuários mais conhecidos e procurados em todo o Mundo. Fátima desenvolveu-se graças ao fenómeno religioso que se tornou no seu motor mas a sociedade civil e o poder não acompanharam devidamente essa evolução. É esta cidade com caraterísticas muito próprias que tentarei dar a conhecer ao longo dos artigos que irei postar. Abri com um trabalho fotográfico obtido anteontem, a basílica de Fátima tendo como fundo o pôr do sol, é intencional, pois na aparição de Nossa Senhora ela disse que faria um milagre - o chamado milagre do sol - para que os homens acreditassem e fê-lo em Outubro desse ano perante cerca de 70.000 assistentes na Cova da Iria. Para quem não acredita, é um tema controverso, mas falaremos disso mais além.

3 comentários:

Nylda disse...

Olá Eduardo...
Já a algum tempo que não vinha a este lindo blog para te "ver" e ler os teus posts.
Parabéns pelo tema que colocas-te, Fátima uma linda terra, abençoada pos nossa Senhora. Eu sempre passo por Fátima e 1 a 2 vezes por ano, é para mim uma paragem obrigatória e quando venho de lá sinto-me muito bem.
Uma boa semana para ti.
Beijos e um sorriso.

Ane disse...

Oi Eduardo!Hoje vim rever seu blog,sempre com temas muito bons em cada post.Não conheço o santuário de Fátima,já vi na TV.As pessoas aqui vão muito lá visitar.Um grande abraço!

jorge g disse...

Bom dia, Eduardo.

Fátima é um lugar de fé para milhares e milhares de católicos.
Como ela, há outras terras espalhadas pelo mundo que cresceram apoiadas pelas crenças religiosas. Todas elas devem ser apoiadas quer pelos locais, quer pelas autoridades locais,regionais e nacionais, até porque são fonte de entrada de divisas no país.
Vou a fátima normalmente uma vez por ano, não em peregrinação própria mas acompanhando um familiar devoto, e não tenho encontrado na cidade o progresso que se podia prever.

um abraço.