terça-feira, novembro 18, 2008

Dia da folha

Hoje decidi instituir o dia da folha. Pois se há dias para tudo, porque não posso criar "um dia da folha?" Está feito, hoje, para mim é o dia da folha. Eu explico o porquê. De manhã olhei para a minha cerejeira e vi que estava quase despida, ou seja, sem folhas. Esteve bastante vento e cairam mais uns milhares de folhas (sim milhares, foi o que escrevi), pelo que passei mais de duas horas a varrer toda a área circundante. Mas como o sr. vento estava inquieto e com vontade de brincar, demorei mais tempo que o previsto, pois ele entreteve-se a brincar ao gato e ao rato afastando as pobres folhas para um lado e para o outro. Mesmo assim e com uma elevada dose de paciência, fui juntando toda a folhagem e tudo voltou a ficar como dantes: limpo.
Todos os anos perco algumas horas a fazer este trabalho no outono, pois a minha cerejeira é exigente. Despe-se no outono ( brrrrr, não percebo como ela se despe nesta altura do ano, com vento e frio) e na primavera começa novo ciclo voltando a vestir-se de verde, depois apresenta a sua bela flor branca, convida as abelhas para as polinizarem e finalmente vai começando a criar as cerejas que por ocasião de Maio estarão a pintar e mais tarde já prontas a comer. Só que, quando as cerejas estão vermelhinhas, começo a receber a visita permanente das mais diversas aves como pardais, melros e tantas outras. São centenas de visitas diárias que mesmo sem pedirem licença, lá vão comendo as cerejinhas. Mesmo assim, não fico triste, pelo contrário, sinto-me satisfeito por contribuir para o sustento de tanta passarada. Por vezes, só desejava que me deixassem ficar mais cerejas, mas possivelmente fazem mais falta a eles que a mim, paciência, penso eu. Este verão ainda fiz um "espantalho" - e bem grande - que coloquei quase no topo da cerejeira, mas verifiquei que eles não ligaram nenhuma ao boneco, comeram e levaram as que quiseram. Dos meus visitantes, aqueles que mais admiro são os melros, mais atrevidos, comem um ou dois frutos e levam quase sempre uma no bico, provavelmente para os filhotes que terão no ninho. Mas sabem porque não me importo? É que eles quando estão saciados deliciam-me com o seu cantar, fico encantado a ouvi-los. Só por isso, já vale a pena o trabalho que tenho todo o ano a tratar da cerejeira.

3 comentários:

bitu disse...

Voltei e passei para ver as novidades e desejar um bom fds.

bitu disse...

Que o espririto do Natal esteja em seu coração e o amor e a solidariedade façam parte de cada dia da nossa vida.
Um Natal repleto de saúde, amor, solidariedade e prosperidade.
FELIZ NATAL!
Um abraço

Roberta Granada disse...

Oi , gosto muito do teu blog, eu tb tenho um blog http://agulhaetricot.blogspot.com,visite-me,beijo.