terça-feira, junho 30, 2009

Alegria de voar




André, desde tenra idade, que foi um menino traquina. Mas tinha uma qualidade que o distinguia dos companheiros de brincadeira, adorava ver os aviões e no seu íntimo sempre teve um sonho: voar.
Começou por arranjar aviões de papel e passava o tempo a entusiasmar os colegas de brincadeira no jardim a fazer competições, o objectivo era para ver quem o conseguia atirar mais longe.
Mais tarde, começou a fazer papagaios de papel, de cores garridas e longas caudas, era vê-lo a levantar o papagaio, a correr, correr cada vez mais, para que ele voasse o mais alto possível.
Naquela tarde, passara horas seguidas até conseguir ver o seu papagaio bem alto, quase a perder de vista, para alegria dos seus companheiros, e com um gozo sem fim, ele gritava: consegui, olha como o meu papagaio voou mais alto que todos, não é uma maravilha, perguntou. Os colegas de brincadeira acenavam que sim e todos queriam pegar no papagaio e correr um pouco.
Chegou a noite e o nosso André foi para casa e disse à mãe: mamã, hoje fiz um papagaio que voou até às nuvens, devias ter visto! Foi tão lindo.
Depois de jantar, vestiu o pijaminha, escovou os dentes e foi deitar-se. Nessa noite, sonhou tanto que no dia seguinte não foi capaz de descrever à mãe tudo o que havia passado, mas ainda conseguiu lembrar-se de algumas coisas.
Houve uma que não esqueceu e contou à mãe. Sabes, mamã, eu sonhei que tinha um guarda-chuva e que com ele voava como o Peter Pam, fui para muito longe, uma terra linda, com muitos lagos e patos, muitas flores e borboletas de todas as cores, era tão belo mamã, como eu gostava de lá estar.
Quem diria que um guarda-chuva faria uma criança tão feliz, pensou a mãe, sorrindo e afagando com carinho a cabecita do André.

Este texto que produzi, meio conto e ficção, faz parte da blogagem colectiva do "Desafio Lúdico III", proposta do "Anseios da Alma".

9 comentários:

Chica disse...

Lindo conto! Um abração ,tudo de bom,chica

carmen disse...

Demorei para chegar aqui... mas consegui... ufa!!!

Desculpe a demora, pois estou com problemas internáuticos...
Mas vou lá colocar o seu post e comenta-lo lá, onde você poderá responder aos seu leitores,

sorry, very much!!!

abçs

carmen disse...

Pronto, agora já está lá!!!

Pode ir ver e mais tarde responder aos comentários sobre o seu conto-ficção...

abçs

Mari Amorim disse...

Olá Eduardo,
Passei por aqui,pra deixar um grande abraço.
Boas energias
Mari

Vou de coletivo! disse...

Olá!
Aqui quem fala é o Murilo, dos blogs Palavras de Osho e Os nascimentos das palavras.
Assim como você e dezenas e dezenas de outros amigos blogueiros, eu participava das blogagens coletivas do Tertúlia Virtual, belíssimo projeto de promoção de blogagens coletivas que infelizmente chegou ao fim em julho de 2009.
Para mim, a inicitativa do Tertúlia foi responsável pela realização de muitas das melhores blogagens coletivas da blogosfera em língua portuguesa.
A idéia de a cada mês reunir blogueiros em torno de um tema foi tão bem-sucedida que não podemos deixá-la morrer.
Para colaborar, lancei o Vou de coletivo!
Todo dia primeiro do mês será proposto um tema para ser abordado por blogueiros por meio de textos, imagens, vídeos e o que mais a criatividade permitir.
Assim que o tema do mês é apresentado, é aberta uma lista de inscrições. Basta você inscrever sua postagem que automaticamente será inserido um link para ela na relação de participantes. As inscrições ficam abertas o mês todo.
E você, gostou da idéia? Espero que sim!
Então não vamos perder o embalo. Logo sai o primeiro coletivo de 2009! Clique aqui e acesse o Vou de coletivo!
Abração!

Mari Amorim disse...

Eduardo,
Saudades de seus comentários
Boas energias
bjao
Mari

Deprisa disse...

Un cuento muy bonito, que hace olvidar el defecto del ser humano de no tener alas...

Un saludo,
Deprisa

carlotinha disse...

Olá, lembra de mim e do blog www.blogqyp@blogspot.com
Eu mudei ele para http://enigmaticayexoticasou.blogspot.com/
Seja sempre bem vindo nele...

ASAS AO TEMPO disse...

Eduardo, você fala em meu poema que eu tenho sensibilidade? Tu és especialista nisso menino!
Lindo conto viu!!!

Estive lendo o seu perfil e me deparei diante de um jornalista Portugues... gostaria de lhe pedir um favor em particular, se possivel passe seu email nesse endereço: terxa@hotmail.com

agradeço,


beijão!