domingo, julho 16, 2006

Ter ou não ter tomates, eis a questão!




Vamos contar uma história. Um dia, Afonso conduzia o seu camião carregado de frutas e legumes a caminho do mercado, tinha acordado tarde e rolava a toda a velocidade. Numa curva mais apertada sentiu que alguns produtos haviam caído, mas não se deteve pois tinha pressa. Dois grossos tomates muito avermelhados rolaram pela estrada e foram cair na berma. Levantaram-se, sacudiram a poeira e um disse: safa, pensei que morria desta, quantas cambalhotas eu dei mas, parece-me que para além de umas pisadelas, está tudo bem. Pois é, respondeu o outro, eu só tive medo que algum carro me esmagasse, afinal foi só o susto.
Ainda olhavam um para o outro quando - um pouco mais à frente - depararam com uma grande cebola descamisada e pesarosa. Também ela havia caído e ficado maltratada. Não ligaram e seguiram dizendo: só nos faltava esta, depois desta desgraça ainda encontramos uma cebola suja e mal-cheirosa, Tu sentis-te o odor dela?
Sentado na berma do caminho estava o Manel pepino, cansado e cheio de larica, quando olhou e viu dois tomates e uma cebola mesmo à sua frente, deu um pulo e pensou: que bom, olha o que encontrei, pelo menos posso fazer uma magnífica salada. Se o pensou, mais depressa o fez e tragou àvidamente, tal era a fome que tinha.
Moral da história: quem tem tomates, chama-lhe seus e até pode fazer uma salada deles.
Reparem bem na maravilha destes que estão por baixo, lindos de morrer, serão saborosos?
Nota: penso que não esperavam outro final para a história, ou será que estavam a pensar "noutra história"? Não!...
Uma boa semana de trabalho.

5 comentários:

Pdivulg disse...

hehe! ;-) Sem dúvida que com este calor uma boa salada de tomates com pepino é sempre muito bem vinda!

Marisa disse...

Ó Eduardo...a minha sorte é que nunca gostei de comer tomates! Mas ao olharmos para eles parecem tão apetitosos, tens razão!
Fizeste-me rir com esta história de tomates e cebolas. Muito interessante! Keep on the good work! ;)

eternapartedemim disse...

Olá!

Vim agradecer e retribuir a visita e tão simpático comentário.

Divertida esta história... fizeste-me rir!

Votos de boa semana e, se fôr este o caso, umas óptimas férias!

Lu Costa

Anônimo disse...

Foste visitado pela intemporal.blogs.sapo.pt
Voltarei mais vezes porque teu blog é interessante.OBrigada pelos minutos de bem estar que me proporcionas-te

Mily disse...

Tadinho dos tomates e da cebola... depois de terem tido a sorte de escapar ilesos da queda do caminhão serem degustados numa salada? Ai que destino mais triste!!! (risos) e olha que adoro uma saladinha de tomates, pepinos e afins. Muito interessante essa história, amigo!

Quanto a essa postagem sobre os avós... quanta ternura! Feliz da família que ainda usufrui dessa benesse de pessoas idosas para passar sabedoria de vida. Felizes são as crianças que recebem dos avós aquele carinho especial, aquela compreensão no olhar e nos gestos que só os avós possuem. E felizes são os avós que recebem dos netos aquele ternura que comove o coração e enternece a alma, e que muitas vezes acontece no soar da simples palavra 'vovô, vovó', falado com a doçura do sussurrar de um anjo.

Amei essa postagem, meu amigo!

Deixo-te um abraço afetuoso e o desejo de um final de semana pleno de alegrias.